A decisão do voto nas eleições presidenciais brasileiras. Yan de Souza Carreirão. Florianopólis/Rio de Janeiro. Editoras UFSC/FGV. 2002. p.23-61.

                                                                                Resenhado por; Suzana Alves

 

A decisão do voto nas eleições presidenciais brasileiras (2002), é um livro estruturado em duas partes com o total de seis capítulos, sendo resenhados aqui apenas os dois primeiros, livro escrito por Yan de Souza Carreirão, analisa as formas como os eleitores votam para presidente, tendo como  contexto as eleições presidenciais brasileiras o autor propõe que essas formas variam muito de acordo com escolaridade do eleitor.

Leia mais...

A Indústria cultural: o esclarecimento como mistificação das massas. in: Dialética do esclarecimento/ fragmentos filosóficos. Max Horkheimer & Theodor Adorno. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed. 1985.  

                                                                                           (resenhado por; Suzana Alves)*

 

 

Max Horkheimer (1895 –1973) nascido na Alemanha, em família de origem judaica doutorou-se na universidade de Frankfurt em 1922. Em 1924, participou da fundação do instituto de pesquisa social, dando origem a chamada escola de Frankfurt. O filosofo e musicólogo alemão Adorno (1903 – 1969) foi co-fundador do instituto de pesquisa social de Frankfurt ao lado de Horkheimer.

Leia mais...

O Capitalismo Tardio / João Manuel Cardoso de Melo. Editora brasiliense, 1982. São Paulo.

                                                                            

                                                                                            Resenhado por, Suzana Alves*

 

                                 

João Manuel Cardoso de Melo inicia seu ensaio demarcando alguns pontos do pensamento da CEPAL (comissão econômica para América Latina), criada 1949, com o objetivo de elaborar estudos e alternativas para o desenvolvimento dos países latino – americanos. Para o autor a CEPAL, foi criada para estabelecer o processo de aparecimento da industrialização entre 1914 e 1945. A saída vista pela CEPAL para a América Latina seria a industrialização. O autor crítica o critério cepalino de periodização histórica (economia colonial / economia nacional, crescimento para fora, industrialização por substituição de importações e industrialização extensiva / industrialização intensiva), partindo daí, João Manuel C. de Melo vai repensar a história, formação e desenvolvimento do modo de produção capitalista na América Latina. Começando com as raízes do capitalismo retardatário, onde o autor faz um paralelo entre economia colonial e economia exportadora capitalista é como ambas se desenvolveram no Brasil, usando este mesmo paralelo entre o seu ponto de vista e o da CEPAL.

Leia mais...